Qual será o grande vencedor na categoria de melhor filme? A gente não sabe, mas opina!

Indicados ao Oscar de melhor filme

A grande cerimônia do Oscar 2018 acontece amanhã e, por mais incrível que isso possa parecer, ainda não temos um grande favorito.

Em 2017, La La Land figurava como o grande o vencedor e carregava nada mais, nada menos, do que catorze indicações. Parecia impossível que qualquer outro filme indicado pudesse ofuscar o seu brilho. O mais bizarro aconteceu, o filme de Damien Chazelle não só não conquistou a principal estatueta da noite, como também protagonizou um dos momentos mais absurdos da história da premiação. O prêmio foi entregue por engano ao musical, quando o verdadeiro vencedor era o profundo Moonlight.

Confusões a parte, a academia se prepara para que este ano um equivoco deste porte não ocorra e, para auxiliar caso aconteça, não existe um grande favorito. Ao que tudo indica, a disputa está entre o conto fantasioso de Guillermo del Toro, A Forma da Água, e a história genial de pequenos e grandes absurdos de Três Anúncios para um Crime, do diretor Martin McDonagh.

Todavia, nas premiações anteriores ao Oscar, filmes como Lady Bird, Trama Fantasma e Corra! tiveram imenso destaque, portanto, certeza é uma palavra que não existe nesta edição, ainda mais se levarmos em consideração os acontecimentos de 2017.

Mas, deixemos de lado as hipóteses e vamos direto aos fatos e aos filmes:

A FORMA DA ÁGUA

Imagem divulgação – A Forma da Água

A obra fantástica de Guillermo del Toro é uma carta de amor aos filmes clássicos de monstro, mas também é tremenda metáfora sobre minorias e a opressão social. Possui uma fotografia belíssima que combinada à direção de arte nos transporta diretamente para os anos sessenta, mantendo o público imerso em um cotidiano simples de uma personagem surda e de poucos amigos.

Mas nem tudo é perfeito e o filme possui algumas falhas no roteiro, alguns irão dizer que são passagens condizentes à época, outros dirão ser comodismo de Del Toro, ao acreditar que um filme fantasioso pode suportar qualquer deslize.

Em todo caso, o filme é um dos mais premiados, assim como o seu diretor mexicano que, por sinal, caso vença na categoria de melhor direção, deixará um excelente recado para um governo que pretende separar de todas as maneiras possíveis os Estados Unidos de imigrantes.

Leia a nossa crítica aqui.

CORRA!

Imagem divulgação – Corra!

O filme de estreia do comediante Jordan Peele alcançou as principais premiações e o reconhecimento. Nada mais justo, afinal, Peele conseguiu fazer algo há muito tempo não visto: um filme de terror que discute uma temática relevante à sociedade e com um roteiro muito bem construído.

Com uma direção intensa, uma atmosfera de suspense constante e atuações que impressionam pelas emoções que demonstram e atingem diretamente o público, Corra! é a reflexão por meio do horror.

Leia a nossa crítica aqui.

LADY BIRD

Imagem divulgação – Lady Bird

Uma jornada pelo cotidiano comum de uma adolescente e nada mais. Maravilhoso. Das situações mais simples e triviais do relacionamento entre uma adolescente e sua mãe, Greta Gerwig foi capaz de criar um filme tão potente ao ponto de conquistar a indicação na categoria de melhor filme, melhor direção e melhor original.

Leia a nossa crítica aqui.

TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME

Imagem divulgação – Três Anúncios para um Crime

Absurdo, dramático, ácido e altamente sarcástico. Três Anúncios para um Crime é o nosso favorito, é o nosso escolhido nos bolões da vida.

Com um roteiro primoroso e um elenco potente, o filme de Martin McDonagh apresenta um humor negro raro nas produções cinematográficas, demonstrando o pior e o melhor de cada ser humano, sem personagens bons ou maus, apenas humanos e permeados pela dor.

A direção excelente caminha tranquilamente pelo cotidiano de uma pequena cidade que, de repente, se torna uma loucura, mas sem se prender em desculpas ou sentimentalismos baratos.

Leia a nossa crítica aqui.

TRAMA FANTASMA

Imagem divulgação – Trama Fantasma

Com uma fotografia nada menos do que deslumbrante e curiosamente não creditada à ninguém, Trama Fantasma é um filme denso por toda a sua rede de relacionamentos conturbados, mas um filme que merece ser visto por sua beleza visual e narrativa.

Daniel Day-Lewis despede-se das telas em grande estilo, com uma atuação brilhante que o coloca, no encerramento de sua carreira, no hall dos melhores atores da história. Paul Thomas Anderson conduz toda a situação com enorme destreza e se mostra cada vez mais maduro na direção.

Leia a nossa crítica aqui.

O DESTINO DE UMA NAÇÃO

Imagem divulgação – O Destino de Uma Nação

Gary Oldman, esse é o nome do filme. Talvez, esse seja o longa da lista de indicados com o maior número de falhas no roteiro e na direção, mas ainda assim, é um ótimo exemplar político sobre a vida de Winston Churchill, mesmo que um tanto quanto romantizada.

Já Oldman não apresenta qualquer falha, ele é simplesmente genial e merece o seu Oscar pela atuação.

Leia a nossa crítica aqui.

DUNKIRK

Imagem divulgação – Dunkirk

Christopher Nolan realiza em Dunkirk uma obra sem muitos diálogos e sem muita emoção. Tecnicamente, a produção é primorosa, fruto da já conhecida metódica direção de Nolan, porém, o filme não possui o necessário para tocar de alguma forma o espectador e dificilmente receberia o Oscar da academia.

Leia a nossa crítica aqui.

THE POST

Imagem divulgação – The Post

É sempre muito gratificante ver Meryl Streep brilhando nas telas e apesar do teor político do filme, Spielberg não apresenta a sua melhor forma. The Post é um daqueles filmes que pensamos que ele poderia ter sido melhor aproveitado, tanto pelo seu elenco, quanto pelo seu diretor, dono de tantas produções excelentes.

Leia a nossa crítica aqui.

ME CHAME PELO SEU NOME

Imagem divulgação – Me Chame Pelo Seu Nome

Me Chame Pelo Seu Nome é um filme sobre amadurecimento, seja dos personagens principais ou dos secundários. Com inúmeras referências ao cinema clássico europeu e ao próprio mundo da arte, Luca Guadagnino transforma um simples romance de verão em uma verdadeira jornada em busca do eu interior.

Um filme bonito, repleto de vida e a urgência do primeiro amor.

Leia a nossa crítica aqui.

__

Agora é com vocês, se ainda não escolheu os seus favoritos ou não assistiu a todos os filmes dessa lista, corre que dá tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.