Realidade do retirante nordestino vira animação em adaptação de “Morte e Vida Severina”, assista:

Publicado em 1956, o poema dramático de João Cabral de Melo Neto, Morte e Vida Severina, ganhou uma animação, através das mãos do cartunista Miguel Falcão, com direção de Afonso Serpa.

Produzida em preto e branco, a produção tem 52 minutos e mantém o texto original do escritor de Recife que, a partir da condição do retirante nordestino, escreveu uma poesia cortante com a caminhada de Severino, que vai do sertão ao litoral pernambucano atrás de uma nova vida.

Morte e Vida Severina já foi adaptada uma vez para os cinemas, em 1977, por Zelito Viana. Em 1981, ganhou uma versão em teleteatro pela TV Globo.

Veja a animação abaixo:

Sinopse do livro ou quem é Severino:

“O meu nome é Severino,
não tenho outro de pia.
Como há muitos Severinos,
que é santo de romaria,
deram então de me chamar
Severino de Maria;
como há muitos Severinos
com mães chamadas Maria,
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias.” – João Cabral de Melo Neto.

 

Clique na imagem para saber mais.