Crítica | Godless: boa série, apesar da propaganda enganosa

214tahu
Imagem divulgação – Godless

Godless é o que faltava à Netflix, o sistema de streaming possui séries de ficção científica, terror, suspense, policial, drama e por aí vai, mas ainda não havia nenhuma série sobre o bom (não tão bom assim) e velho oeste.

Pois bem, Godless é um verdadeiro prato cheio para os fãs de Western, muito tiro por pouca coisa, vingança e sofrimento, porém, como toda boa série da Netflix, a produção ultrapassa os limites tradicionais do gênero, transgride a lógica pré-estabelecida e entrega uma série, no mínimo, interessante.

A cidade de La Belle é habitada praticamente somente por mulheres desde que um terrível acidente em uma mina matou a maioria dos homens, e é neste cenário que um homem misterioso decide parar, atraindo um verdadeiro inferno para a comunidade. Neste cenário é possível encontrar itens inerentes ao gênero: o vilão destemido, o mocinho bonito e de poucas palavras, jornalistas oportunistas, um xerife que sofre com o descrédito da comunidade e, como já dito, tiros para todo lado como se as balas não tivessem fim. Tudo isso muito bem trabalhado, todos são o que são por um motivo que em algum momento vem à tona. Godless faz jus ao seu título à medida em que consegue realmente demonstrar uma terra sem deus. Quando todos são abandonados pelo seu próprio criador, esses acabam tornando-se a imagem daquilo o que sobrou, a sobrevivência.

636467795890708759-818-161005-JM-A-06-038R
Imagem divulgação – Godless

No entanto, a série sofre com dois problemas cruciais que podem levar – e levaram – o público a desistir logo nos primeiros episódios. O primeiro deles é o desenvolvimento exaustivamente arrastado. A impressão que temos é que toda a história poderia ter se resolvido em três episódios ou até mesmo em um longa-metragem. São diversas histórias paralelas que se estendem por muito tempo, transformando ótimos personagens e narrativas em processos cansativos pelos quais o espectador tem que passar para chegar ao fim. Mas esse ainda não é o pior problema de Godless.

O segundo grande problema que a série enfrenta está em sua divulgação. A Netflix vendeu um produto e ele, de fato, não existe. Qualquer pessoa que tenha assistido ao trailer da série, certamente imaginou algo diferente. O trunfo da trama estava justamente no fato de existir uma cidade habitada majoritariamente por mulheres, contudo, elas pouco aparecem, a história está toda concentrada em uma tradicional rixa de homens com o orgulho ferido.

Isso faz de Godless uma série ruim? De maneira nenhuma, mas infelizmente a produção passou longe de desconstruir estereótipos, o que é uma pena, já que o Western é um dos gêneros mais marcados pelo machismo. A série tem sim mulheres que destoam do usual, mas mesmo elas não fogem ao padrão de representação através do olhar masculino.

No mais, a produção possui uma fotografia belíssima, planos abertos em companhia de uma adequada trilha sonora, demonstram bem como a solidão, a tristeza e a desgraça podem ser infinitas em certos lugares. Além disso, os flashbacks apagados fazem referência aos grandes filmes do gênero. O elenco não poderia ter sido melhor escolhido, principalmente as personagens femininas, o que aumenta a nossa tristeza e decepção pelo fato da série não ser aquilo o que foi descrito pelo trailer.

Assista ao trailer abaixo:

FICHA TÉCNICA:

  • Canal: Original Netflix
  • Criadores: Scott Frank, Steven Soderbergh
  • Diretor: Scott Frank
  • Elenco: Jack O’Connell, Michelle Dockery, Scoot McNairy, Merritt Wever, Thomas Brodie-Sangster, Tantoo Cardinal, Kim Coates, Sam Waterston, Jeff Daniels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.