Budweiser atualiza antigos cartazes machistas dos anos 50 e 60, confira:

A industria cervejeira foi sempre uma das mais machistas e misóginas, utilizando a mulher como um objeto e nunca como consumidora. Aos poucos as campanhas vão se transformando e as cervejarias começando a perceber que mulheres representam, em alguns casos, a maior parte de seus consumidores.

Entendendo isso, a Budweiser divulgou ontem, no Dia Internacional da Mulher, uma nova campanha que remodela cartazes dos anos 50 e 60, nos quais as mulheres estavam lá para servir os homens. Em uma parceria com mulheres artistas, os novos cartazes colocam as mulheres em novas funções, mais precisamente, fazendo aquilo o que elas desejam fazer.

Monica Rustgi, vice-presidente de marketing da Budweiser, disse que era responsabilidade da marca atualizar os anúncios. Ela acrescentou que a Budweiser iniciou uma “parceria de longo prazo” com a #SeeHer, uma iniciativa da Associação dos Anunciantes Nacionais (dos Estados Unidos), que visa uma representação mais precisa das mulheres na mídia.

“Como líder em publicidade, é nossa responsabilidade mostrar às mulheres papéis mais equilibrados e com mais poder”, disse Rustgi. “Estamos orgulhosos de anunciar oficialmente nossa parceria de longo prazo com a #SeeHer para melhor informar e avaliar nosso futuro criativo”.

As novas campanhas serão veiculadas em jornais como The New York Times, Chicago Tribune e Los Angeles Times. Veja abaixo:

 

Nesse cartaz, a esposa preparava o jantar enquanto o seu marido tomava uma cerveja, agora uma mulher simplesmente bebe uma cerveja sozinha: “É sexta! O delivery de sua comida favorita acabou de chegar. Pegue uma Bud bem gelada e aproveite o tempo para si mesma.”

 

 

Aqui, onde se lia “Ela descobriu que casou-se com dois homens”, na renovação temos: “Ela descobriu que tem tudo”.

 

 

Mais uma vez, ao invés de somente servir a cerveja ao marido, na nova versão do cartaz a Budwiser apresenta um casal que bebe junto, com os dizeres: “Lar é onde a vida acontece, e a vida a dois acontece quando você a constrói juntos”.

Queremos uma campanha assim no Brasil já!