Lista | 5 Livros de ficção científica escritos por mulheres

Quando pensamos em ficção científica automaticamente nomes como Isaac Asimov, Arthur C. Clarke, George Orwell, entre outros nomes masculinos nos vem à cabeça. Quando tentamos rapidamente pensar em um nome feminino, a situação muda. Mas isso não quer dizer que mulheres não se façam presentes no campo, apenas que não foram tão consagradas por um mercado feito por homens.

A história esta repleta de mulheres que fizeram a diferença, povoaram os campos mais dominados por homens e, no caso da ficção científica, imaginaram mundos incríveis com narrativas surpreendentes.

Confira  a lista e se prepare para várias leituras que te farão viajar!

CANOPUS EM ARGOS (Doris Lessing, 1979)

A história composta por cinco livros, retrata a relação entre três grandes impérios galáticos, Canopus, Sirius e Putiora, que povoam planetas e sistemas estelares imprimindo suas características ao longo da história em medidas de tempo universais. Shikasta, o primeiro livro da série, retrata a Terra sob influência destes impérios que estão em guerra. Assim, o planeta é contaminado por uma doença degenerativa que torna a sua população individualista, o que faz com que o planeta afunde em autodestruição.

Os livros seguintes são: Casamento Entre as Zonas 3,4 e 5, Experiências de Sirius, O Planeta 8: Operação Salvamento, Documentos Relativos aos Agentes Sentimentais no Império Volyen.

KINDRED (Octavia E. Butler, 1979)

Em meio a pilhas de livros e caixas, uma mulher de mudança começa a se sentir tonta e de um breve desmaio, ela acorda à beira de uma floresta perto de um rio, onde uma criança está se afogando. Ao tentar salvá-la, ela se vê diante do cano de uma espingarda. Tudo acontece muito rápido e, de repente, ela está de volta ao seu apartamento. O que parecia ser um sonho, começa a se repetir, até que ela se percebe nos Estados Unidos do século XIX, pré-Guerra Civil, uma época nada fácil para uma mulher negra.

HERLAND – A TERRA DAS MULHERES (Charlotte Perkins Gilman, 1915)

Três rapazes americanos realizam uma expedição a um país desconhecido (Herland), formado apenas por mulheres. Acostumados com o ideal de mulher imposto pelo patriarcado, eles ficam abismados com esse país onde não há guerras, violência e a reprodução é assexuada.

A MÃO ESQUERDA DA ESCURIDÃO (Ursula K. Le Guin, 1969)

Ao ser enviado ao planeta Gethen para convencer seus habitantes em uma grande comunidade internacional, um emissário entra em choque cultural em uma sociedade onde todos os indivíduos são andróginos e de gênero fluido, ou seja, homens e mulheres ao mesmo tempo. Esta situação se torna confusa e absurda para o protagonista que vive confortável com os moldes heteronormativos.

A CHEGADA EM DARKOVER  (Marion Zimmer Bradley, 1972)

Tudo começa quando uma equipe colonizadora naufraga em um planeta inóspito e perde contato com a Terra. No novo planeta, eles sofrem o impacto de um vento fantasma e de correntes psíquicas que só existem ali, um preço muito alto para tentar transformar esse lugar em uma nova possibilidade de lar.

A saga se estende por vários livros e contos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.