1° de abril: 5 livros para aprender sobre a existência da mentira

Primeiro de abril, um dia cheio de histórias, muitas delas verdadeiras e a grande maioria falsas. É, inclusive, difícil saber o que de fato aconteceu ou não nesse dia, mas como tudo tem um motivo, o primeiro de abril também tem.

A ideia desse dia surgiu na França, com o rei Carlos 9°, por quê? Desde o início do século 16, o ano novo era comemorado no dia 25 de março e as comemorações só se encerravam no dia primeiro de abril. Quando em 1562, o calendário gregoriano foi instituído, mudando o ano novo para o dia primeiro de janeiro, o rei francês decidiu ignorar o novo calendário, aceitando as mudanças somente dois anos depois. E mesmo após a mudança, os franceses continuaram a comemorar o ano novo na antiga data.

A partir disso, os franceses que mantinham a tradição foram ridicularizados e apelidados de “bobos de abril”. Recebiam presentes estranhos e muitos convites para festas inexistentes. Anos depois, a brincadeira se espalhou, deixou de ser somente para os franceses, popularizou-se pelo mundo e pegadinhas viraram a marca do primeiro de abril.

Bom, agora que você já sabe mais sobre a origem desse dia, que tal saber mais também sobre o fenômeno da mentira. Afinal de contas, existem diversos tipos de mentiras, há quem diga que todas elas são condenáveis, enquanto outros abrem exceções. Uma discussão que move o mundo filosófico e social e a gente traz para você alguns livros para pensar melhor sobre o assunto e sobre suas próprias verdades, mentiras e omissões. Vai lá:

OS FILÓSOFOS E A MENTIRA

Um título que fala por si. Esse livro traz o pensamento dos maiores filósofos da história que também ousaram refletir sobre a mentira. Uma leitura que também introduz temas diversos como moral, ética, religião, entre outras coisas que envolvem a mentira.

SOBRE VERDADE E MENTIRA

Nesta obra, Nietzsche investiga o alcance efetivo da linguagem, sobre a qual se assenta todo o conhecimento da civilização ocidental. Para ele, a confiança do homem moderno no poder das palavras: elas são apenas uma metáfora para as coisas e jamais poderiam encarnar o seu significado.

 

 

A MORTE DA VERDADE. NOTAS SOBRE A MENTIRA NA ERA TRUMP

Um retrato mais recente da mentira, este livro aborda a ideia objetiva da verdade que é ridicularizada, sobretudo no cenário sociopolítico norte-americano. Teorias da conspiração e ideologias que já haviam sido totalmente desacreditadas voltaram a ter voz na cultura, questionando o que já foi estabelecido pela ciência.

SOBRE A MENTIRA 

Sobre a Mentira e Sobre a Inspiração poética, conhecidos também como Hípias Menor e Íon, são dois dos quase trinta diálogos do jovem Platão que chegaram até nós. Neles, ele transforma os mais simples debates sobre o ser humano e suas questões em deleitosos embates intelectuais.

A ARTE DE MENTIR

Aqui fugimos um pouco da lógica filosófica. O jornalista e escritor Cícero Sandroni reuniu algumas das suas melhores crônicas em A arte de mentir. Pequenos textos, talvez para serem lidos em uma noite de chuva e observar pequenas mentiras cotidianas.