As 10 melhores séries de 2019 até agora

Já passamos da metade de 2019 e enquanto a leva de séries de agosto e outubro não chegam, fizemos uma lista com aquelas que, em nossa opinião, foram as melhores produções desse ano até o momento. Temos estreias, temos novas temporadas e também séries limitadas, então, sem mais demora, veja abaixo a nossa lista com as melhores séries de 2019 até agora.

Confira:

Sex Education

Sex Education foi lançada sem muito alarde, mas tornou-se uma excelente surpresa para a Netflix, sendo uma das séries mais assistidas do serviço de streaming neste ano. A série adolescente trata de temas e tabus sexuais de uma maneira muito leve, mas sem perder a seriedade, um meio termo cativante que conquistou o público.

Twilight Zone

Desenvolvida por Jordan Peele, a antologia traz de volta as histórias de bizarras que desde os anos 50 acontecem na Twilight Zone. Já renovada para uma segunda temporada, a produção exerce um ótimo trabalho em continuar a série de sucesso originalmente criada por Rod Serling, trabalhando diversos temas pertinentes à época atual.

Gentleman Jack

Gentleman Jack é disparada a melhor surpresa deste ano e talvez nenhum outro lançamento nos faça mudar de ideia. A trama narra a trajetória de Anne Lister, a primeira lésbica conhecida da Inglaterra, a partir dos diários escritos e deixados por ela mesma. A produção é repleta de mulheres que a todo momento, mesmo sem perceber, estão lutando contra as amarras do sistema completamente dominado por homens do século 19.

Crítica – Gentleman Jack 

Killing Eve

Killing Eve entregou um segundo ano completamente diferente do primeiro, isso se deve à troca de criadora, assim como a necessidade de caminhar com personagens tão impressionantes como Villanelle e Eve, que interpretadas por Jodie Comer e Sandra Oh, merecem receber o Emmy juntas pelo fantástico trabalho exercido nessa segunda temporada.

Crítica | Killing Eve – Temporada 2

Stranger Things

A terceira temporada de Stranger Things teve de tudo, desde relacionamentos adolescentes e pais que não sabem lidar com isso, até a rivalidade feminina sendo desconstruída em um ambiente de empoderamento (Max, conte com a gente pra tudo!) e, claro, monstros, universos paralelos etc. Tudo isso trazendo um elenco ainda mais entrosado e um roteiro que arrancou o coração de meio mundo ao final.

Dark

Dark retornou para a sua segunda temporada com um roteiro tão confuso quanto o da primeira, mas em uma perspectiva um pouco menos voltada para a mecânica quântica e um pouco mais para a ligação entre os personagens e os núcleos tão distintos e, no fim, tão semelhantes. Além disso, a temporada foi encerrada com um cliffhanger que promete uma continuação ainda mais complexa.

Boneca Russa

Uma comédia montada a partir de uma narrativa excessivamente repetitiva, mas que mesmo assim consegue garantir a atenção do expectador. Mérito de um roteiro que consegue extrair o melhor de um clichê barato e de um elenco que cativa nas situações mais estapafúrdias.

Olhos que Condenam

Olhos que Condenam, de Ava Duvernay, tem o mérito de expor de maneira crua e certeira um dos mais marcantes casos de racismo da história dos Estados Unidos, onde cinco jovens foram presos, acusados e julgados culpados por um crime que não cometeram. A produção tem um objetivo muito claro em abrir as feridas mal cicatrizadas de um país que, anos depois, conseguiu eleger um bilionário que se promove também através de seus discursos racistas.

Good Omens

Baseada no livro homônimo de Neil Gaiman, Good Omens traz com sarcasmo e cinismo a história de um anjo e um demônio que precisam impedir a atuação do anticristo. A narrativa faz um excelente papel em desconstruir discursos bíblicos absurdos ainda utilizados no século 21, além de contar com um ótimo elenco que inclui David Tennant e Michael Sheen nos personagens principais, e Frances McDormand nos presentando com a voz de Deus. Abençoada seja.

Chernobyl

Impecável. Essa é uma palavra que define muito bem a produção da HBO sobre o acidente nuclear na cidade de Chernobyl, na Rússia. A produção possui sensatez ao retratar os fatos e não conta com qualquer tom sensacionalista. Uma das melhores séries da década.

Crítica | Chernobyl

E vocês? Contem pra gente quais foram as melhores séries que vocês assistiram em 2019.