Lista | 7 livros de escritoras negras que você precisa conhecer

A visibilidade das mulheres na arte vem aumentando. É claro que ainda estamos longe de conquistar algo próximo de uma igualdade, mas o caminho está sendo trilhado, propagado e difundido. E isso deve aumentar ainda mais.

Procuramos sempre divulgar a literatura de mulheres, sejam livros mais clássicos, ou aqueles antigos que nunca receberam a devida atenção e caíram no esquecimento, assim como os livros de escritoras contemporâneas, ou ainda divididos por gênero literário.

Agora, preparamos uma lista curta para você organizar a sua prateleira e iniciar a leitura de mais escritoras negras em 2019. São sete incríveis livros, de distintos gêneros e para todos os gostos. Uma lista que você não pode perder!

Veja abaixo:

EU SEI POR QUE O PÁSSARO CANTA NA GAIOLA – MAYA ANGELOU

Clique para ver mais

 

 

 

 

 

 

 

 

“Racismo. Abuso. Libertação. A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por essas três palavras. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras. Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e libertar-se das grades que foram colocadas em sua vida.”

A MULHER DE PÉS DESCALÇOS – SCHOLASTIQUE MUKASONG

Clique para saber mais

“O romance trata de maneira pungente dos conflitos enfrentados pelas mulheres na Ruanda das lutas fratricidas entre as etnias Tutsi e Hutu, que culminaram com o genocídio praticado pelos hutus em 1994. Naquele momento, Scholastique Mukasonga, que é da etnia tutsi, já estava radicada na França, e viu à distância sua família ser dizimada.”

O ÓDIO QUE VOCÊ SEMEIA – ANGIE THOMAS

Clique e saiba mais.

Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial. Não faça movimentos bruscos. Deixe sempre as mãos à mostra. Só fale quando te perguntarem algo. Seja obediente. Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto.

ENTERRE SEUS MORTOS – ANA PAULA MAIA

Clique para saber mais.

“Edgar Wilson trabalha no órgão responsável por recolher animais mortos em estradas e levá-los para um depósito onde são triturados num grande moedor. Seu colega de profissão, Tomás, é um ex-padre excomungado pela Igreja Católica que distribui extrema unção aos moribundos vítimas de acidentes fatais que cruzam seu caminho. A rotina de Edgar Wilson, é alterada quando ele se depara com o corpo de uma mulher enforcada dentro da mata. Quando descobre que a polícia não possui recursos para recolhê-lo, o funcionário é incapaz de deixá-lo à mercê dos abutres e decide rebocar o cadáver clandestinamente até o depósito, onde o guarda num velho freezer, à espera de um policial que, quando chega, não pode resolver a situação. Nos próximos dias, ele receberá um outro achado, desta vez o corpo de um homem. Habituados a conviver com a brutalidade, Edgar e Tomás não se abalam diante da morte, mas conhecem a fronteira, pela qual transitam diariamente, entre o bem e o mal, o homem e o animal.”

OLHOS D’ÁGUA – CONCEIÇÃO EVARISTO

Clique para saber mais.

“Sem sentimentalismos, mas sempre incorporando a tessitura poética à ficção, seus contos apresentam uma significativa galeria de mulheres: Ana Davenga, a mendiga Duzu-Querença, Natalina, Luamanda, Cida, a menina Zaíta. Ou serão todas a mesma mulher, captada e recriada no caleidoscópio da literatura em variados instantâneos da vida? Elas diferem em idade e em conjunturas de experiências, mas compartilham da mesma vida de ferro.”

SANGUE NEGRO – NOÉMIA DE SOUSA

Clique para saber mais.

“Único livro de Carolina Noémia Abranches de Sousa (1926-2002), a “Mãe dos poetas moçambicanos”, é composto por 46 poemas de resistência, escritos entre 1948 e 1951, distribuídos nas seções: “Nossa Voz”, “Biografia”, “Munhuana 1951”, “Livro de João”, “Sangue Negro” e “Dispersos”.”

O FEMINISMO É PARA TODO MUNDO – BELL HOOKS

Clique para saber mais.

“O feminismo sob a visão de uma das mais importantes feministas negras da atualidade. Eleita uma das principais intelectuais norte-americanas, pela revista Atlantic Monthly, e uma das 100 Pessoas Visionárias que Podem Mudar Sua Vida, pela revista Utne Reader, a aclamada feminista negra Bell Hooks nos apresenta, nesta acessível cartilha, a natureza do feminismo e seu compromisso contra sexismo, exploração sexista e qualquer forma de opressão.”