Mais de 17 horas de canções do Candomblé gravadas na década de 40, confira:

Na década de 40, um pesquisador americano, Lorenzo Turner, decidido a compreender a linguística dos diversos povos do continente americano, viajou para a Bahia, onde em Salvador e na região do Recôncavo, gravou uma série de sacerdotisas e sacerdotes do candomblé.

Esse material esteve durante todo esse tempo desaparecido, até que em 2002, Xavier Vatin, professor da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), encontrou os áudios e imagens nos arquivos da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos. Um total de mais de 17 horas de áudio gravados pelo pesquisador à época.

Turner tinha o objetivo de comprovar a preservação linguística do oeste-africano nas localidades povoadas pelas comunidades da diáspora africana. Hoje, os registros de Turner representam muito mais do que isso, são imagens que demonstram a resistência das culturas africanas após serem arrancadas de seu continente.

Abaixo você confere as gravações Memórias Afro Atlânticas: as gravações de Lorenzo Turner na Bahia 1940 1941 Vol. 1:


Para ter acesso à mais gravações, basta acessar o canal do projeto Memórias Afro-Atlânticas.