Melhores do ano | Os 10 melhores álbuns nacionais de 2018

2018 foi um ano turbulento, difícil e cheio de provações políticas, sociais, culturais e familiares, mas além disso, foi também um excelente ano na televisão, no cinema, na literatura (apesar das falências no mercado editorial) e, claro, na música. Os melhores do ano na música internacional foi já viu aqui, mas o mais importante vem agora, a galera que mexeu e transformou o ano da música brasileira. Os 10 melhores álbuns nacionais de 2018, você confere abaixo e já pode começar a preparar a playlist da virada.

Mahmundi – Para Dias Ruins

Em seu segundo álbum, Marcela Vale também conhecida como Mahmundi, traz toda a nostalgia já conhecida de trabalhos anteriores, deixando fluir através das canções uma enorme carga de sentimento, algo bem diferente de seu álbum de estreia.

Anelis Assumpção – Taurina

Em uma necessidade de traduzir sua própria alma em um álbum, Anelis Assumpção traz um álbum que cativa ao mesmo tempo que provoca o ouvinte.

Marcela Mescalina – Androginismo 

Em um álbum que mescla músicas autorais e composições de artistas do sul do Brasil, Marcela Mescalina vai do blues ao candombe uruguaio, com um potente vocal que há muito tempo não se vê.

Tuyo – Pra Curar

Com um tímido instrumental, o trio Tuyo lança o seu primeiro álbum com músicas que pouco a pouco se revelam ao público, um universo a cada faixa.

Maria Beraldo – Cavala

Da doçura à fúria, Cavala é um grito que ecoa para o mundo inteiro.

Baco Exu do Blues – Bluesman 

Bluesman segue o primeiro trabalho de Baco Exu do Blues, e em tom provocativo, transita pelo histórico da música negra.

Duda Beat – Sinto Muito 

Sinto Muito é mais uma que se projeta no cenário musical nacional propondo-se a revolucionar e transformar o pop brasileiro, em uma mescla de ritmos que o torna um álbum altamente acessível e incrível.

Carne Doce – Tônus 

O terceiro álbum do Carne Doce, Tônus, reflete um grande estudo da banda em si mesma, uma melancolia intimista que percorre todas as faixas.

Elza Soares – Deus é Mulher 

Apesar de ser um álbum composto quase que inteiramente por homens (apenas quatro músicas são de mulheres), Deus é Mulher é provocativo e traz uma Elza Soares cada vez mais política em um álbum que debate violência, religião e sexualidade com a maior naturalidade possível.

Mulamba – Mulamba

Mulamba é um álbum de levante contra o machismo e as opressões contra a mulher e desigualdades sociais. Em nove canções que colocam ritmos de todo lado em perfeita sintonia, Mulamba – tanto a banda, quanto o álbum – é a resistência da mulher na música e na vida.